Maternidade Frei Damião realiza teste essencial para diagnóstico precoce de doenças em bebê

0

Com apenas uma picadinha no calcanhar do bebê é possível diagnosticar doenças graves, que podem comprometer o desenvolvimento do recém-nascido. O Teste do Pezinho, popularmente conhecido como triagem neonatal é obrigatório e gratuito no Brasil desde 1992. O Ministério da Saúde instituiu 6 de junho como o Dia Nacional do Exame.

Preocupada em assegurar uma melhor qualidade de vida e bem estar dos bebês, a Maternidade Frei Damião, que compõe a rede hospitalar estadual, realiza o procedimento de forma gratuita para todos os bebês nascidos na maternidade ou em outras unidades de saúde.

De acordo com a coordenadora de enfermagem da maternidade, Maria de Lourdes Bastos, o exame deve ser feito em todas as crianças recém-nascidas, após as 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida do bebê.

A coordenadora explica que é necessário esperar esses dias porque algumas doenças podem não estar sensíveis ao teste nas primeiras horas de vida do bebê. “É importante fazer o procedimento em todos os recém-nascidos, uma vez que as doenças identificadas pelo exame não apresentam sintomas no nascimento e, se não forem tratadas cedo, podem causar sérios danos à saúde”, defendeu.

A enfermeira Maria de Lourdes Bastos também destacou que, além de disponibilizar o exame, a unidade de saúde também é responsável em habilitar profissionais da área de saúde de todo o estado, sendo assim referência em triagem neonatal. “Os profissionais passam em média cinco dias na maternidade, onde participam de todo o processo para poderem realizar o teste em seus municípios”, ressaltou.

A diretora administrativa da Maternidade Frei Damião, Morgana Queiroga destacou que “é compromisso da unidade trabalhar de forma humanizada, com o objetivo de oferecer uma melhor qualidade de vida para as mamães e os bebês paraibanos, oferecendo um leque de serviços essenciais, além de uma equipe profissional capacitada e pronta para atender a todo o estado”, ressaltou.

Por meio do teste do pezinho, são detectadas seis doenças graves: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, anemia falciforme, hiperplasia adrenal congênita e a deficiência de biotinidase.

O teste – É realizado, por meio da coleta de amostra de sangue do calcanhar do bebê. A coleta acontece no calcanhar devido ao grande fluxo sanguíneo existente no local. O sangue, então, é colocado num papel filtro e em seguida encaminhado ao laboratório. O resultado pode sair em até 30 dias.

No momento do teste, os pais devem apresentar os seguintes documentos: certidão de nascimento, RG da mãe ou do pai, além do comprovante de residência.

Em caso de alteração, o laboratório entra em contato, por telefone com a família e o posto de coleta e o bebê deve fazer novos exames para confirmar a doença diagnosticada pelo exame.

Balanço – Em 2016, a Maternidade Frei Damião realizou 2.232 testes. Neste ano, até agora, foram realizados 543 exames.

Doenças diagnosticadas pelo Teste do Pezinho

Fenilcetonúria – Causada pela deficiência no metabolismo do aminoácido fenilalanina. O acúmulo no organismo pode causar deficiência mental.

Hipotireoidismo Congênito – Causada insuficiência do hormônio da tireoide. A falta de tiroxina pode causar retardo mental e comprometimento do desenvolvimento físico.

Fibrose Cística – Ocorre aumento da viscosidade das secreções, propiciando as infecções respiratórias e gastrointestinais. Ataca pulmões e pâncreas. É incurável.

Anemia Falciforme e outras hemoglobinopatias – Alteração da hemoglobina que dificulta a circulação, podendo afetar quase todos os órgãos. Pode causar anemia, atraso no crescimento e dores e infecções generalizadas. É incurável.

Hiperplasia Adrenal Congênita – O organizanismo não produz os hormônios cortisol e aldosterona em quantidade suficiente. Em casos severos pode causar desidratação, pressão baixa, baixo nível de açúcar no sangue, problema para manter sal suficiente no corpo, desenvolvimento alterado da genitália externa em meninas, o que é notado no nascimento e pode precisar de cirurgia para correção, altura menor que os pais, sinais prematuros de puberdade em crianças, menstruação irregular e possível problema para ficar grávida, pêlos faciais excessivos em mulheres, tumores benignos no testículo e infertilidade masculina.

Deficiência de biotinidase – Um defeito no metabolismo da biotina. Pode causar distúrbios neurológicos e cutâneos, a exemplo de crises epiléticas, hipotonia, microcefalia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor, alopécia e dermatite eczematóide. O diagnóstico tardio pode trazer complicações, a exemplo, dos distúrbios visuais, auditivos assim como atraso motor e de linguagem.

Fonte: Governo da Paraíba

Campartilhe.

Sobre o Autor

Deixe Um Comentário

Copyright © 2003 - 2017 - Portal Folha do Valentina Notícias - Rádio, TV Jornal Jampa Notícias - TV JAMPA - Petrúcio Prado